O Parque dos Segredos

Era uma tarde de verão qualquer, ela estava sentada em um dos bancos do parque, aquele banco em frente ao lago. Havia por lá uma árvore velha, mas linda, os patos estavam tomando banho no lago, de água cristalina, onde dava pra ver os peixinhos nadando, o chão entre o banco e o lago era de grama, uma grama recém cortada.

O vento era calmo e refrescante, soprava nos galhos da árvore, proporcionando um barulho lindo e calmo. Ouvia-se além disso, os patos. Aquele parque, naquela tarde cheirava a orvalho e a grama. E ao fundo, podia se ouvir um soluçar de choros. 

Era um lugar em que qualquer um poderia se sentir totalmente seguro e calmo, mas não ela, não naquele dia, não naquele mês. Outras coisas há estavas perseguindo talvez uma manha estressante de trabalho, uma briga com a irmã… Um chefe ranzinza e chato, com que ela poderia ter discutido, uma notícia ruim… Mas não, ela tinha a vida perfeita, um otimo trabalho, um relacionamento perfeito com a irmã, o melhor chefe do mundo.

Sabe o que a incomodava?

Uma pessoa. É… Uma pessoa. Mas não uma simples pessoa. Era aqule pessoa sentada do outro lado do lago. Um IDIOTA, RETARDADO, FEIO, REPUGNANTE, bem… A simples pessoa que abala a vida perfeita de qualquer mulher. O seu AMOR.

A única pessoa que ela não tem mais assunto para puxar em uma conversa. A pessoa que faz seu coração acelerar, suas pupilas dilatarem, suas mãos suarem a frio. A única pessoa que abala seu mundinho perfeito. A pessoa que faz daqule parque, um tornado de sentimentos intensos. Pois foi ali onde deram o último beijo. O beijo de Despedida. Onde ela vem todas as tardes para lembrar, sofrer, por ELE.

Mas ela ainda o ama, ela ainda lembra dos momentos inesquecíveis que passou com ele.

Lembra como era bom, lembra como foi intenso, como era lindo. Como parque era calmo, como o lago a acalmava. Mas agora é só um lugar vazio, um lugar triste.

Mas ela sabe que não tem mais volta, ela não quer mais isso, mas mesmo assim retorna, ali, naquele mesmo parque, no mesmo banco, para lembrar as mesmas coisas. Para sentir seus olhos encherem de lágrimas e transbordarem. Sair correndo dali, aparando as lágrimas que correm pelo seu rosto em um fluxo constante.

Chuva ou sol, frio ou calor, ela continua indo.

Toda tarde é assim. Ela vem, lembra, às vezes o vê, chora e sai. Mas o parque continua ali do mesmo jeito, da mesma forma como aquelas tardes lindas em que passaram juntos. Mas ela vai embora e o parque continua ali, guardando momentos incríveis. Representando um lugar calmo e tumultuoso. Guardando segredos, juras de amor, guardando o beijo de despedida de muitos casais que ja foram felizes ali.

É… Com certeza… O PARQUE DOS SEGREDOS!

Agradecimentos ao SONHOS-DE-CABECEIRA
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s